Duplicação da Avenida do Contorno

Ibama liberou licença ambiental para o empreendimento que deve eliminar um dos principais gargalos de trânsito da cidade. Projeto está orçado em R$ 24 milhões

O prefeito Jorge Roberto Silveira anunciou que irá ampliar a Rua Benjamin Constant, que liga o Centro da cidade ao Barreto. No momento a Prefeitura está no processo de desapropriação de cerca de 30 casas para poder construir em toda a extensão da via duas faixas de tráfego, nos dois sentidos.

 

Atualmente, no trecho inicial e final da rua só existe uma faixa. A medida acontece no mesmo momento em que o projeto de ampliação da Avenida do Contorno parece que finalmente vai deslanchar. O Instituto Brasileiro do Meio Ambiente (Ibama) liberou esta semana a licença ambiental para o empreendimento e a concessionária Autopista Fluminense anunciou que deverá dar início às obras, orçadas em R$ 24 milhões, dentro de um mês.

A Avenida do Contorno é alvo da reclamação dos niteroienses pelas horas de espera nos engarrafamentos. Ela recebe o tráfego de cinco pistas, sendo duas da Ponte e três vindas do Centro de Niterói. A Prefeitura de Niterói comemorou a iniciativa, já que, segundo ela, a ampliação da via vai eliminar um dos principais gargalos de trânsito da cidade, com reflexos sobre  a Alameda São Boaventura, a Rua Benjamin Constant, a Avenida Feliciano Sodré e  a Praça Renascença.

“Essa obra já deveria ter sido feita há muito tempo e vai ajudar a desafogar algumas áreas críticas do trânsito da cidade. O projeto de trânsito do Jaime Lerner para a cidade já alertava para essa necessidade. A Avenida do Contorno é uma via antiga, foi construída no governo do meu pai, na década de 50, quando a realidade do transporte de Niterói era outra”, comenta o prefeito.

A Avenida do Contorno, que atualmente possui duas faixas de rolamento, vai ter três, tanto no sentido Niterói quanto no sentido São Gonçalo. A previsão é de que a mudança fique pronta em 2012.

A Secretaria Estadual de Transportes revela que também será necessário desapropriar alguns imóveis próximos à avenida, já que o projeto prevê, além das faixas a mais, acostamentos.

“Os acostamentos que são construídos normalmente nas vias são de 2,5 metros, mas o projeto prevê que na Contorno sejam de três. Assim, quando acontecerem quebras de veículos ou acidentes não será mais necessário interdições de faixas”, explica Delmo Pinho, secretário de Transporte.

Segundo o secretário, as mudanças vão aumentar muito a fluidez da avenida.

“Só com a construção das faixas já acontece um aumento de 50%. Mas se pensarmos também no acostamento ele passa para 200%”, afirma.

No projeto também estão incluídos a ampliação dos trechos dos viadutos Leopoldina Railway e do Rio Maruí Grande.  A população aguarda ansiosa o início das obras. O caminhoneiro Arley Eliseu, de 52 anos, que passa pelo local pelo menos uma vez ao mês a trabalho, torce para ver fluir melhor o trânsito na avenida livres para o trânsito.

“Já fiquei 4h parado aqui na Contorno por causa do engarrafamento gerado por um acidente. Espero que façam logo essa nova pista e acostamento”, torce.

O taxista Jorge Oliveira, de 67 anos, acha que a obra já está demorando.

“Essa rua é engarrafada desde sempre. Demoraram para fazer essa obra. Só espero que agora não demore para ficar pronta”.

A mudança vai ser ainda mais importante quando o Complexo Petroquímico do Rio de Janeiro (Comperj) estiver funcionado. Visando a melhoria do trânsito também para o complexo, serão licitadas linhas de ônibus para fazerem a ligação Maricá-Itaboraí.

 

Fonte: jornal.ofluminense.com.br

 

Publicidade

Banner
Banner
Banner
Banner
Banner
Banner
Banner
Banner
Banner
Banner

enquete

Qual o seu Time de Coração?